sábado, 19 de julho de 2014

Xadrez repete a polêmica do #VaiTerCopa?

A guerra dos tronos na série Game of Thrones, da HBO
HÁ ALGUM TEMPO EU não acompanho as notícias do xadrez internacional. 

Hoje, inteirando-me um pouco mais sobre a Olimpíada de Xadrez em Tromsø, Noruega, percebi que finalmente o presidente da FIDE se pôs em maus lençóis.

Pensa só: a Olimpíada de Xadrez organizada pela FIDE está em guerra contra ela mesma (dessa feita, o diabo é encarnado em seu comitê organizador).

Em uma paródia com o futebol, seria como se a FIFA quisesse mudar regras em cima da hora para beneficiar alguns países, e o Brasil, país anfitrião, não aceitasse, criando-se um impasse indissolúvel. Uma vez que a FIFA já haveria "dado" a Copa para o Brasil organizar, só o Brasil passaria a mandar no negócio, tendo poderes para contrariar a própria FIFA. 

Li a carta do Kirsan Ilyumzhinov, presidente da FIDE, que insinua ter dedo do Kasparov nas ações que o comitê organizador em Tromsø tem tomado - a mais forte e polêmica delas é a rejeição da inscrição da equipe feminina da Rússia, alegando estar esta fora do prazo. 

Se tiver mesmo influência de Kasparov nisso, o Ogro de Baku finalmente encontrou um jeito de começar a destituir o sistema ditador que domina há eras na FIDE: derrubá-lo de dentro para fora.

Como fazia nos tabuleiros, quando buscava em seu laboratório pessoal novidades de sua própria lavra para posições ditas ruins pela máquina, Kasparov não se conformou com um cenário negativo e o esmiuçou, anos a fio, até obter sua própria solução. 

Há muito tempo ele vem fazendo tentativas frustradas de bater de frente com o poderio econômico de Kirsan - inclusive sua autocandidatura ao cargo máximo do xadrez mundial e sua peregrinação mundo afora na ânsia de angariar apoiadores (leia-se "fundos"). 

O axioma de que "a FIDE é do Kirsan" e o cara tem dinheiro demais para ser destituído, ao que parece, começa a ruir graças a esta "novidade teórica" surgida à mesa. Quem seria capaz de dizer, anos atrás, que os comparsas de Kirsan, ou seja, seu próprio sistema, estaria um dia contra ele? 

Diz-se nos bastidores políticos que o pessoal lá na Rússia não está nada contente com a intromissão de Tromsø em uma gestão que, até o momento, estava à mercê da FIDE. E, é claro, a corja kirsaniana não ficará olhando estupefata a bomba-relógio que Tromsø postou à sua frente. Eles começaram a agir para resolver sua tarefa mais difícil até então: explicar ao mundo do xadrez como um comitê organizador chancelado pela FIDE pode se voltar contra ela própria.

Faltam 12 dias para a Olimpíada de Xadrez começar (ou não). Será que teremos no xadrez os mesmos movimentos do #VaiTerCopa e #NãoVaiTerCopa que vimos no Brasil? Esperemos ansiosos para saber.

[Por: Tiago A. dos Santos]



terça-feira, 1 de abril de 2014

Brasileiro vai integrar time de Carlsen na defesa do título

Milos ajudará Carlsen no WCC      Foto: Zé Velloso/Facebook
O hexacampeão brasileiro GM Gilberto Milos Jr. foi convidado oficialmente para integrar o time de "segundos" (auxiliares) que ajudarão o norueguês GM Magnus Carlsen, atual campeão mundial, a defender seu título frente ao indiano GM Viswanathan Anand, próximo desafiante, no Campeonato Mundial de Xadrez

O match, que acontece em novembro deste ano, ainda não tem data e local definidos pela FIDE (Federação Internacional de Xadrez). Há propostas da Noruega e da Genóvia para sediarem o evento.

Milos falou esta manhã, por telefone, com a Rádio Xadrez e confirmou com exclusividade que aceitará o convite. "Achei digno da parte dele me convidar, foi um reconhecimento aos dois empates que tivemos recentemente em Caxias do Sul e, provavelmente, ao respeito que ele tem com a tradição do xadrez brasileiro", disse.

Segundo nossa reportagem apurou, três membros da equipe de Carlsen serão mantidos: o norueguês GM Jon Hammer, de quem Carlsen é amigo de infância, o dinamarquês GM Peter Nielsen, que viajou recentemente com Carlsen para o Brasil, e o russo GM  Ian Nepomniachtchi. Milos substituirá o também russo GM Dmitry Jakovenko, considerado por Carlsen "inapropriado" para manter-se no time.


Lances Finos